“Ó Jesus, entra em cena!”

Quando Jesus entra em cena

 
Depois de relembrar a transformação de mais de 480 litros de água em vinho da melhor qualidade, graças à intervenção voluntária de Jesus nas bodas de Caná da Galileia, Eugene H. Peterson, em seu devocionário Um Ano com Jesus, ensina-nos a fazer a pequena oração: “Ó Jesus, entra em cena!”.
Não há oração mais apropriada quando chegamos à conclusão de que todos os nossos recursos foram esgotados e nada mais podemos fazer. A súplica é muito curta e direta. Em apenas cinco palavras dizemos tudo. Ela deve ser repetida: “Ó, Jesus, entra em cena!”, “Ó Jesus, entra em cena!”, “Ó Jesus, entra em cena!”. Deve soar não como uma ordem, mas como um pedido humilde, contrito e absolutamente sincero. Deve ser uma oração explicativa. Antes ou depois de “Ó, Jesus, entra em cena!”, devo me abrir diante de Jesus e confessar…
Ó Jesus, entra em cena porque, apesar da assistência médica e das internações, não tenho conseguido me livrar da dependência química!
Ó Jesus, entra em cena porque estou desempregado, não há nada na despensa, não há nada na geladeira, não há nada nas panelas, não há nada na mesa, não há nada no estômago das crianças e elas morrem de fome!
Ó Jesus, entra em cena porque nosso casamento de vinte anos está em crise!
Ó Jesus, entra em cena e transforma as trevas em luz, a descrença em crença, a desesperança em esperança, o vício em virtude!
Ó Jesus, entra em cena porque minha empresa está à beira da bancarrota!
Ó Jesus, entra em cena porque a minha consciência está em fogo!
Ó Jesus, entra em cena porque não tenho sermão para o próximo domingo!
Ó Jesus, entra em cena porque eu quero ter filhos, e meu marido não quer!
Ó Jesus, entra em cena porque temos um filho doente da cabeça, ele não fala coisa com coisa, não para em lugar nenhum, quer tudo e não quer nada!
Ó Jesus, entra em cena porque não tenho igreja para pastorear, igreja nenhuma me quer como pastor!
Ó Jesus, entra em cena porque a minha hora está chegando, o meu fim está próximo, dentro em pouco o meu corpo se transformará em pó outra vez e eu ainda não tenho a certeza da salvação!
Ó Jesus, entra em cena porque algo desastroso dentro de mim me faz trocar o certo pelo errado, o que quero pelo que não quero!
Ó Jesus, entra em cena porque estou descendo cada vez mais em direção à carne e não subindo cada vez mais em direção ao espírito!
Ó Jesus, entra em cena porque estou grávida e vou ser mãe solteira!
A oração “Ó Jesus, entra em cena!” não é mantra, não é mentalização, não é uma peça de pensamento positivo, não tem nada a ver com autoajuda. Não são palavras mágicas para se obter algum livramento. Antes é uma honesta confissão de impotência e de desespero. Um pedido de socorro.
Podemos colocar essas mesmas palavras na boca de Moisés: — Ó Jesus, entra em cena e faze-nos atravessar o mar Vermelho! na boca de Jairo: — Ó Jesus, entra em cena porque minha filha de 12 anos está morrendo (Mc 5.22-23); na boca da mulher cananeia: — Ó Jesus, entra em cena porque minha filha está horrivelmente endemoninhada! (Mt 15.21-22); e na boca daquele pai desesperado: — Ó Jesus, compadece-te de meu filho que é lunático e muitas vezes cai no fogo e outras muitas, na água! (Mt 17.15).
Frente a qualquer impasse, comece a orar respeitosa e repetidamente: “Ó Jesus, entra em cena, por favor!”.
Facebook
Twitter
WhatsApp

Deixe uma resposta